Busca avançada

Kotlin: História e motivos para o crescimento e popularidade da linguagem

quinta-feira, 4 de abril de 2019 por Jefferson Silva
Kotlin: História e motivos para o crescimento e popularidade da linguagem

Presente nos requisitos de vagas para desenvolvedores Android, constantemente apontado com uma das linguagens mais amadas pelos seus usuários e com um crescimento de popularidade notável.

Neste artigo vou contar um pouco da história do Kotlin e apontar alguns dos motivos pelos quais você deve ficar atento a essa linguagem.

1.    JetBrains: A empresa criadora da linguagem

Antes de se aprofundar no mundo Kotlin é importante conhecer a empresa que está por trás da linguagem e sua influência no mercado de desenvolvimento de software. 

A JetBrains foi fundada em agosto de 2000 e desde então virou referência no mercado devido aos seus ambientes de desenvolvimento integrados (IDE), focados em gerar uma melhor experiência de uso para os desenvolvedores. Entre as ferramentas mais notáveis da empresa podemos citar o IntelliJ IDEA, ReSharper, PhpStorm, PyCharm, WebStorm, entre outros.

Em 2009 a JetBrains estava à procura de uma linguagem alternativa ao Java e com funcionalidades específicas que os ajudariam na manutenção das suas ferramentas e em projetos internos. Devido a necessidade dessa linguagem ser compatível com a máquina virtual Java (JVM) e outros requisitos técnicos, a empresa não encontrou nada que suprisse suas necessidades e partiu para o desenvolvimento de uma linguagem própria. 


2.    O anúncio e lançamento da linguagem

Em 2011 a JetBrains revelou o projeto Kotlin, uma nova linguagem de programação voltada para a JVM e que tinha como objetivo ser uma linguagem concisa, interoperável com Java, com proteção de código, entre outras coisas. 

Em 2012 a JetBrains transformou o projeto em open source sobre os termos a licença Apache 2 e em fevereiro de 2016 o Kotlin teve sua primeira versão estável lançada. 

Uma curiosidade sobre a linguagem é que o nome Kotlin vem do nome de uma ilha em São Petersburgo na Rússia, que fica próxima de um dos escritórios da empresa. 

 

3.    Suporte do Google ao uso do Kotlin no desenvolvimento Android

Até 2017 o Kotlin era uma linguagem com características interessantes, porém sem tanto apelo na comunidade que já tinha no Java uma solução estável, forte no mercado e com os recursos necessários para atender tudo que o Kotlin propunha na JVM. Até que durante a Google I/O daquele ano foi anunciado o suporte ao Kotlin como linguagem first-class no desenvolvimento Android.

Isso sem dúvida impactou na visibilidade do Kotlin e impulsionou sua popularidade entre os desenvolvedores. Em rankings de linguagem de programação como o RedMonk, o Kotlin saltou diversas posições e hoje se encontra no top 20 de popularidade ao lado de linguagens consagradas e com muitos anos de mercado.


4.    Onde podemos utilizar o Kotlin?

Hoje, quando pensamos no Kotlin, a primeira coisa que vem em mente é o desenvolvimento Android. Porém, devido ao crescimento da sua popularidade, a JetBrains expandiu o escopo e hoje o Kotlin clama por ser uma linguagem multiplataforma e de propósito geral. 

Podemos utilizar o Kotlin, além de no desenvolvimento Android, para desenvolver para a JVM, para a Web em código transpilado para javascript e para código nativo em plataformas onde máquinas virtuais não são desejáveis ou não estão disponíveis. 

5.    Java ou Kotlin?

Aqui um ponto fundamental que deve ser ressaltado: O Kotlin não vem para substituir o Java! O Java é uma linguagem que beira os vinte de cinco anos de mercado, líder em grande parte dos rankings de linguagens mais utilizadas no mundo, presente em uma quantidade incontável de dispositivos e com uma das comunidades de desenvolvimento mais ativas. 

O Kotlin vem para somar e ser uma alternativa para os desenvolvedores interessados em recursos presentes em outras linguagens mais modernas e ausentes no Java, que por diversos fatores não possui suporte a funcionalidades como: proteção contra nulo, parâmetros com valor padrão, funções de extensão, etc...

Inclusive, muitos apontam que um dos fatores determinantes para o sucesso da linguagem é a interoperabilidade com o Java e a possibilidade de tirarmos proveito de todo ambiente de bibliotecas, frameworks e afins construídos por anos para o Java.

6.    Devo aprender Kotlin?

O Kotlin já é uma realidade no mercado de trabalho, principalmente quando observamos vagas para desenvolvedores Android, onde o conhecimento de Kotlin ou é um requisito obrigatório ou um diferencial desejável. Não podemos nos deixar levar pelo hype achando que o Java vai ser substituído da noite para o dia, mas é importante estarmos preparados para as novas demandas e possibilidades.

Fontes:

JetBrains: www.jetbrains.com
Kotlin: www.kotlinlang.org
Google I/O 2017: https://bit.ly/2ktp0QW
RedMonk: www.redmonk.com

Compartilhar

Jefferson Silva
Autor
Jefferson Silva

Desenvolvedor de Soluções da Code 21. É formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pelo Centro Universitário Curitiba – Unicuritiba e pós-graduando em App Development pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Já publicou artigos na área de tecnologia e é um entusiasta do desenvolvimento mobile e de UX. Se deseja viabilizar seu software web ou mobile, migrar para nuvem ou implantar ferramentas de TI, entre em contato com a Code 21.