Busca avançada

Tecnologia sustentável: por um futuro com menos impacto

quarta-feira, 13 de maio de 2020 por Eduardo Spaki
Tecnologia sustentável: por um futuro com menos impacto

Quando imaginamos uma fábrica e sua produção, fica fácil pontuar medidas que façam dela um lugar mais sustentável e ecologicamente amigável. Mas ao se tratar de tecnologia e sustentabilidade, é muito mais difícil pensar em ações que respeitem esses compromissos sociais de desenvolvimento sustentável. 

Ser um programador, por si só, já carrega o desafio de explicar constantemente as pessoas como você trabalha. Se você é um, provavelmente já precisou esclarecer diversas vezes aos seus avós como ganha o pão de cada dia.

Ou teve de enfrentar o desafio de explicar sobre a sua rotina de trabalho para o vendedor da loja de peças quando foi comprar lâmpadas para seu carro. 

Agora, tente explicar a si mesmo: se uma fábrica consegue tomar medidas para ser ecológica e sustentável, como você e seu software podem fazer o mesmo?

Pois é, isso pode ser tão desafiador quanto explicar a própria profissão. No entanto, mesmo dentro dessa temática, existem diversos pontos em que podemos pensar e atuar. 

Por isso é tão importante que desenvolvedores pensem em novas alternativas que permitam alinhar a produção de softwares à sustentabilidade, e assim, alcançar resultados cada vez mais sustentáveis. 

A tecnologia trabalhando pela sustentabilidade

Desde 2009, a Microsoft, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, vem adotando uma série de medidas e metas para um desenvolvimento cada vez mais sustentável. 

A empresa pontuou algumas áreas de foco em que pode oferecer maior impacto e criou uma série de estratégias de preservação. E ela não é pouco ambiciosa em suas vontades.

Um de seus compromissos é ser negativa em carbono até 2030, e para 2050, o objetivo é remover todo o carbono já emitido desde sua fundação, em 1975. 

Todas essas medidas e compromissos têm como objetivo a diminuição da pegada de carbono da empresa. Índice que representa a quantidade de emissão de gases dióxido de carnono (CO2) na atmosfera.

Essa preocupação da Microsoft é extremamente importante, pois quanto menor a pegada de carbono de uma pessoa, serviço ou empresa, menor é o seu impacto no planeta.  

Mas os planos da Microsoft não param por aí. Recentemente, a empresa publicou em seu blog oficial que pretende ter campus e datacenters livres de emissão de carbono.

Além de lançar uma nova iniciativa de monitoramento de desempenho e otimização, que consiste em uma nuvem circular orientada a dados usando Internet das Coisas (IoT), blockchain e Inteligência Artificial (AI)

Além disso, a empresa também tem planos ambiciosos de datacenters submersos no oceano, que resfriam naturalmente e aproveitam a energia cinética de correntezas marítimas para alimentar seus servidores.

Uma empresa cada vez mais sustentável